domingo, 4 de dezembro de 2016

PERUA DODGE DART

A Chrysler absorveu a Simca do Brasil e no período de 1967 a 1969 produziu a dupla Esplanada e Regente, ambos derivados do Simca Chambord. Havia também uma interessante versão esportiva GTX, com câmbio de 4 marchas no assoalho, bancos dianteiros individuais etc. Os 3 modelos até que vendiam bem, considerando-se que eram bem defasados diante dos novos rivais (Ford Gálaxie e Chevrolet Opala), mas a montadora norte-americana lançou sua própria linha de carros de passeio em 1969, começando pelo Dodge Dart sedan (4 portas). 
Um pouco maior que o Opala e menor que o Gálaxie, o Dart fez sucesso e deu origem a uma versão Cupê 2 portas, uma esportiva-básica SE e as luxuosas versões esportivas LS e R/T. 
Em 1973 surgiu o Dodge 1800 e sua versão melhorada, Polara, em 1976. 
Finalmente, em 1979 o Dart deu origem aos luxuosos Le Baron (sedan), Magnum (cupê) e o R/T, e a linha Polara ganhou a luxuosa versão GLS. 
Sob controle da VW a partir de 1979, e diante dos preços cada vez maiores do petróleo e seus derivados, a marca desapareceria de forma melancólica do mercado nacional em 1981.
Interessante observar que a Chrysler pensou em lançar versões station wagon (peruas) tanto do Dart quanto do Polara, mas infelizmente nenhuma das duas chegou até o consumidor.
Como o brasileiro é muito habilidoso e criativo, logo surgiram algumas versões artesanais, de fundo de quintal. Algumas foram usadas como carro funerário...
Vasculhando o meu acervo de fotografias, encontrei diversas fotos de peruas Dodge Dart, algumas com resultados interessantes, e que compartilho aqui com vocês:

CLIQUE NAS FOTOS ACIMA PARA AMPLIÁ-LAS!

domingo, 13 de novembro de 2016

KARMANN-GHIAS PERSONALIZADOS

O Karmann-Ghia (coupé e conversível) até hoje é considerado um belo carro, e suas linhas sedutoras desafiam o tempo. O mesmo não se pode dizer do modelo TC, mas até que o modelo não é de todo mal. Azar dos proprietários que compraram o modelo à época, pois a ferrugem atacava a carroceria com facilidade, o que explica o pouco interesse em preservar um.
Mas um fato é inegável: o Karmann sempre careceu de um motor à altura de sua proposta esportiva. Além disso, a presença de cromados e até de calotas deixavam o modelo "clássico demais" na opinião de algumas pessoas. E são elas que acabam produzindo versões personalizadas que quase sempre chocam as pessoas de uma forma negativa. Mas sempre há um modelo que acaba conquistando a nossa atenção.
Confira, abaixo, uma coletânea de Karmann-ghias personalizados - fotos obtidas na internet: 

 
Para finalizar, uma série de Karmann-Ghia TC personalizados:
 
 CLIQUE NAS FOTOS ACIMA PARA AMPLIÁ-LAS