quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

WILLYS OVERLAND DO BRASIL

A Willys Overland do Brasil - WOB foi fundada em 26 de abril de 1952, com capital de 50 milhões de cruzeiros e acionistas brasileiros (maioria) e americanos.
As atividades foram iniciadas em 1954, apenas montando os jipes willys americanos (que vinham para cá prontos, mas desmontados), comercializando-os com o nome “JIPE UNIVERSAL”.
Bastante adequado (e eficiente) para as precárias estradas brasileiras, ele vinha com tração integral e motor 4 cilindros F-134 Hurricane, 2.150 dm3, que rendia apenas 73 hp.
Em 1957 o Jeep passou a ser produzido no Brasil com um índice de nacionalização de 80%.
A partir de 1959 ele passou a usar um motor nacional, de 6 cilindros, 2.638 cm3 e 90 cavalos de potência, que era fundido em Taubaté/SP.
Ele era oferecido com tração em 2 ou nas 4 rodas e a transmissão era sempre de três marchas, com redução.
Ele vencia os mais difíceis terrenos e superava inclinações de mais de 70%. Para o Brasil-rural da década de 50, era o veículo que conseguia chegar "a qualquer lugar".
As linhas da carroceria, inicialmente retas e angulosas, foram reestilizadas e ficaram arredondadas e mais harmoniosas.
Essa reestilização foi exclusiva para os veículos brasileiros
Em 1961 a WOB lançou a PICK-UP JEEP, que mais tarde foi renomeada para F-75 (vide matéria mais adiante, neste blog). 

Em 1962 surgiram outras duas versões, os (CJ-6) M-101 de duas e quatro portas, com maior capacidade de carga (montado sobre o chassi da Rural), chamado popularmanente de "JIPÃO" ou "BERNARDÃO".
Em 1966 o Jeep (apelidado no Nordeste de "CHAPÉU-DE-COURO") passou a ser montado também em Jaboatão, Pernambuco, onde estava a primeira fábrica de automóveis do Nordeste, a Willys-Nordeste, que também fabricou a Rural e Pick-up Jeep.

 Acima, o painel minimalista, Abaixo, detalhe do estepe pendurado na lateral.
O valente Jeep permaneceu em produção até 1983, equipado com o moderno, eficiente e mais econômico motor Ford 4 cilindros, do Maverick. 
Infelizmente saiu de produção - se permanecesse em linha, certamente teria compradores interessados por muitos anos...

CONTINUA...

2 comentários: