terça-feira, 20 de agosto de 2019

PROTÓTIPOS DE AERO WILLYS E ITAMARATY

Em abril de 1967, o mercado nacional foi sacudido com a notícia de que a Willys-Overland do Brasil seria absorvida pela Ford.
A Kaiser americana aproveitou uma conjuntura favorável e se desfez de suas fábricas de automóveis. 
A IKA (Indústrias Kaiser Argentina) foi para as mãos da Renault.
A Kaiser-Jeep norte-americana foi vendida à American Motors.
A Willys-Overland do Brasil foi vendida para a Ford em 1967, e esta continuou a produzir a linha Aero/Itamaraty (a limousine Executivo não, pois competia com o Galaxie), o Gordini, o Jeep, a Rural e a picape F-75.
Em 1969 Henry Ford esteve no Brasil e conheceu os PROTÓTIPOS de “novos Aero/Itamaraty para 1970". 
As alterações se concentravam na dianteira, com novos capôs, pára-lamas, pára-choques, faróis (retangulares), piscas dianteiros nas extremidades dos pára-lamas e novas grades.
Para o Aero, uma ampla grade cromada uniria os faróis. 
Para o Itamaraty, uma grade tipo radiador, semelhante à do Lincoln Continental Mark III.
 
 
 
 
 CLIQUE NAS IMAGENS ACIMA E ABAIXO PARA AMPLIÁ-LAS
Como se pode perceber nas fotos acima, os protótipos eram feios e desengonçados, razão pela qual a Ford (felizmente) vetou sua produção. 
Com isso, o Aero e o Itamaraty foram produzidos com as mesmas linhas básicas até 1971, quando cederam espaço para o Maverick, lançado em 1973.
Uma reestilização "meia-sola" para um Itamaraty 1972 chegou a ser preparada (vide fotos abaixo). O resultado até ficou interessante...
 
 
O "Itamaraty 1972" teria sido o "canto do Cisne" para o elegante e luxuoso sedan, e agradaria em cheio aos que achavam o Galaxie "grande demais".
Mas a Ford optou por não investir mais nos defasados modelos herdados da Willys e concentrou os recursos no "novo" Maverick - que dele herdou o motor 6 cilindros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário